quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Dia 057: Sopa-creme de Milho com Cebolinhas

Milho é um cereal que não falta em nossa casa, durante toda a sua temporada, um dos alimentos preferidos de Jorge. Hoje, com a integração dos transportes e legislação, e o gigantismo de nosso país que tem todos os climas, ele deixou de ser uma iguaria das "festas juninas" para ser encontrado o ano todo. Cozido com sal e depois com um pouco de manteiga espalhada sobre ele, huuuuuuuuuum... substitui muito bem uma refeição inteira.

Coube a ele, dia desses, dar vazão ao seu desejo, procurar a receita, comprar os ingredientes, preparar a sopa e escrever o relato. Em situações de sentimentos extremos (alegria ou ira), o que sai mesmo é o idioma natal. Assim, vou deixar seu relato em espanho, que nós brasileiros sempre entendemos assim, assim, mas dá para perceber o sentimento. A receita, uma tradição da culinária mineira, vai em português, é claro, publicada por Neide Rigo do excelente blog Come-se.

P.S. - Milho em espanhol é choclo (a espiga) ou maís (os grãos).

"Me dieron muchas ganas de tomar una sopa con maíz. Me gusta mucho. Y me fui al gran recetario internacional a encontrar ideas. Google mediante me encontré con una receta que me llamó la atención pues tenía una verdura que no estaba en mi breve vocabulario … decía “sopa de milho com cambuquira”… nuevamente a Google a investigar si tenía otro nombre aquí en Brasil… supe que era una planta con hojas “aveludadas” (está certo?). Me gustó aunque intuí que no la iba a encontrar en la Cobal. Así fue… afortunadamente la receta incluía una variante con “cebolinhas” y eso hice… compré 5 lindas espigas de maíz y un atado de “cebolinhas”… pero los olores me resevaban una vuelta a mi infancia… cuando le saqué las hojas al maíz aquel aroma que se desprendió de ellas, me llevó inmediatamente (no dejo de sorprenderme de esa capacidad de los olores de llevar a rincones remotos y precisos de nuestras historia) a la quinta de mi padre donde en diciembre cosechábamos para la sopa del día maíz blanco enorme… mi madre nos pedía que le trajéramos 2 o 3 de aquellas fantásticas y al retirarle las hojas… este mismo olor de hoy.. pero volvamos a la sopa…." (Jorge Aldrovandi).

Caiu como uma luva ouvirmos a canção de Joan Manuel Serrat (letra e música) cantada por ele e Caetano Veloso, chamada "Cada qual com sua Mania", uma espécie de hino à vida!


Receita de Sopa de Milho com Cebolinhas

Ingredientes (para 4 pessoas):
  • 5 espigas de milho
  • 1 cebola picada
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 2 dentes de alho amassados
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 maço de cebolinha (incluindo a parte branca)
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto
Modo de fazer:
  • Com uma faca bem afiada corte os grãos de milho;
  • Bata no liquidificador em duas porções, com água fria que cubra os grãos (cerca de 3 copos de água, ou seja um copo e meio para cada porção);
  • Coe numa peneira, apertando bem, descarte o bagaço e reserve o caldo;
  • Numa panela grande, refogue a cebola na manteiga, para alourar.
  • Junte de uma só vez o caldo de milho e mexa sem parar, devagar, até engrossar;
  • Abaixe o fogo e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos;
  • À parte, numa frigideira, doure o alho no azeite;
  • Junte a cebolinha picada e refogue rapidamente, só até murchar um pouco;
  • Tempere com sal e pimenta-do-reino e junte ao creme de milho;
  • Se a sopa estiver muito grossa, junte aos poucos água quente até conseguir a consistência de sua preferência (deve ficar um mingau não muito grosso);
  • Corrija o sal, se necessário, polvilhe pimenta-do-reino moída na hora e sirva.
Dica 1: Esta sopa se faz com milho fresco, porque é o próprio amido do milho que a engrossa. Se for usar o milho em conserva terá que adicionar maisena, e o sabor é bem diferente.
Dica 2: Esta sopa fica gostosa com outros vegetais substituindo a cebolinha ou a cambuquira original, por exemplo, abobrinha, picada em cubinhos, ou espinafre, nirá, alho-porró e até lingüiça portuguesa: faz-se da mesma forma, refogando o ingrediente à parte, e juntando ao creme de milho.
------------------------------------------------------------------------

5 comentários:

Bernard disse...

No texto de Aldrovandi, a palavra "Choclo" nem é usada....

Micheline e Jorge disse...

Claro que não: Aldrovandi se expressa agora, depois de seis anos de Brasil, no mais autêntico Portunhol... propositalmente, diga-se, para marcar a fusão cultural!

Bernard disse...

É, mas a palavra "milho" ele também nao usa. Creio que o termo usado é "maiz", o qual, pelo que eu me lembro, nao existe em português....Eu nao tive a impressao de que o texto (tirando a história das cebolinhas) é em portunhol, mas sim no mais puro espanhol...Acho que a explicacao da palavra "choclo", embora interessante, é supérflua aqui neste texto!

Bernard disse...

"Sopa de milho com cambuquira" ele usa, mas entre aspas...Aliás, o que é cambuquira??? Sempre achei que era uma estacao de águas no interior de Minas Gerais, lembranca de há quase um milhao de anos...

Micheline e Jorge disse...

Por partes:
A explicação de choclo ou maiz independe do comentário dele. É referência para os leitores de fala hispana, entre os quais temos alguns queridos amigos.
Cambuquira: está no texto, é uma folha cuja foto está lá, na verdade é folha de uma espécia de abóbora, e se comem as mais jovens e macias. Mas pode ser substituída por outra, como espinafre, bertalha, ou cebolinha, nesta receita, claro. O sabor é diferente, mas o efeito visual é semelhante.