sábado, 31 de maio de 2008

Dia 013: Sopa ao Pistou / Sopa de Pesto

Costumo dizer que o Mar Mediterrâneo é um lago em torno do qual seus habitantes se movem há milênios. Basta olhar bem os biotipos de gregos, italianos, espanhóis, portugueses, egípcios, turcos, marroquinos, libaneses...aos meus olhos todos parecem parentes. É interessante observar também a similitude de hábitos cotidianos, como a tradição da siesta (sobretudo na Espanha, Grécia e Egito, que conheço) e a culinária... Com pronúncia um pouquinho diferente, no idioma local, é claro, pode-se identificar os mesmos sabores e temperos. Esta é minha culinária predileta, com seus azeites, grãos, queijos, tomates, e o cheiro de cuminho, pimentas, manjericão...

Quando estou na minha cozinha colorida, com o livro de receitas aberto, literalmente me transporto e revejo o impactante Mar Mediterrâneo de minha infância e a cor reavivada em minha adolescência. Por isso gosto tanto de partilhar a magia que se produz neste momento com minha família e meus amigos queridos. Especialmente André Kerbrat, francês de Marselha, como ele mesmo diz, franco-pernambucano! É muito bom vê-lo saborear reminiscências de sua própria família... e falarmos em nosso idioma materno, ele com aquele rrrrrrrrrr carregado e eu com as vogais abertas do francês do Oriente.

Bem, tudo isso pra dizer, que a sopa de hoje é homenagem ao André, e se chama Sopa ao Pesto ou Soupe au Pistou. Claro que se pode comprar o pesto pronto, mas é muito melhor prepará-lo em casa. Pode-se usar o tradicional pilão ou fazer uma concessão aos mini-processadores. Fica delicioso.

Neste dia de festa, saboreamos dois vinhos excelentes: um Cabernet Sauvignon Casa Silva, chileno, e outro tinto também chileno, Cono Sur, trazido por nosso amigo Martin Hester (nossa casa parecia escritório da ONU: eu, egípcia, Jorge, uruguaio, André, francês, Martin, inglês, e só Raul e Eliane brasileiros!).

Martin é um excelente músico, canta lindamente na Christ Church, no coro e como solista, toca piano, violão... é fã dos Beatles, of course, e além de tudo, mantém o excelente blog Good Listening. Já deu pra perceber que escolher música para ouvir com ele é tarefa delicada! Jorge colocou para envolver o jantar Stephane Grappelli & Yehudi Menuhin, entre as quais Jealousy, que pode ser ouvida e vista aqui, em gravação da BBC.



Receita de Sopa ao Pesto / Soupe au Pistou

Ingredientes (para 8 pessoas):

Para a sopa:

200 g de grão-de-bico (depreferência, deixar de molho de véspera)
1 litro e meio de água
1 cebola grande picada
2 talos de alho-porró picados (as partes brancas e o início do verde)
2 talos de aipo cortados em fatias finas
200 g de favas (eu uso as congeladas, Bonduelle, porque é quase impossível consegui-las frescas aqui no Rio)
150 gramas de vagem francesa cortada em 3 pedaços cada
2 abobrinhas cortadas em cubos
1 cenoura grande cortada em cubinhos
3 tomates sem peles e sem sementes, picados (veja como pelar os tomates na Sopa Toscana do dia 006)
1/4 xícara (de chá) de azeite
sal e pimenta a gosto
um bom queijo parmesão cortado em lascas
1/2 xícara (de chá) de molho pesto

Para o molho pesto:
1 maço de manjericão (só as folhas)
1 xícara (de chá) de azeite
2 dentes de alho
30 gramas de pignolis (pode substituir por nozes ou pela brasileira castanha de caju)
50 g de queijo parmesão ou pecorino (é o queijo feito com leite de ovelha) ralado
1/2 colher (de café) de sal

Modo de fazer:

De véspera:
  • Coloque o grão de bico de molho em água filtrada
  • Prepare o pesto:
    • Lave as folhas de manjericão e seque-as
    • Passe num mixer ou liquidificador as folhas de manjericão com o alho descascado, o azeite, os pignolis, o queijo ralado e o sal.
    • A consistência é de um creme grosso. Se achar que está grosso demais, vá acrescentando azeite em fio, até chegar à consistência desejada.
    • Coloque num pote de vidro e aperte um pouco para que o azeite venha à superfície (é importante isso, para não azedar o pesto; caso necessário, coloque um pouco de azeite na superfície: feito assim, este molho se mantém fresco, na geladeira, por uns dez dias, mais do que isso eu não sei porque nunca dura aqui pra contar história, a gente sempre usa em sopa ou em massa).
No dia:

Preparando a sopa:
  • Escorra a água do grão-de-bico que foi deixado de molho de véspera e coloque-o na panela para cozinhar, coberto de água fria. Quando levantar fervura, abaixe o fogo, tampe a panela (deixe uma fresta para sair um pouco do vapor e não transbordar) e cozinhe por cerca de 30 minutos. Nâo precisa ser mais do que isso. Escorra novamente.
  • Enquanto o grã0-de-bico estiver cozinhando, prepare os outros vegetais, como indicado na lista de ingredientes (picando, fatiando, pelando etc).
  • Escolha um panela grande e funda. Aqueça aí o azeite, refogue a cebola, o alho-porró, o aipo e a cenoura. Deixe cozinhando assim por cerca de cinco minutos para tomar gosto.
  • Adicione o litro e meio de água e o grão-de-bico, o sal e a pimenta, e cozinhe em gogo baixo e panela semi-tampada por mais 15 minutos.
  • Eu paro aí. Só na hora de servir, deixo a mistura ferver novamente, abaixo o fogo e acrescento as abobrinhas, vagens e tomates, e deixo cozinhar mais 10 minutos. Apago o fogo e acrescento o pesto.
Na mesa:
  • Coloco ao lado da sopeira uma tijelinha com mais pesto para cada um se servir à vontade e um prato com o queijo parmesão cortado em lascas (eu ralo na parte do ralador que tem uma fenda afiada).
  • No prato, cada um acrescenta sobre a sopa algumas lascas de queijo e ajusta o sabor do pesto.

--------------------------------------------------------------------------------

Um comentário:

Vanzan disse...

Simplesmente deliciosa. Acabei usando o creme pesto em outras sopas porque ele deu um sabor muito diferente e encorpado. Ficou uma diiiiliiiciaaaa!
Beijocas, Lu