sábado, 10 de maio de 2008

Dia 007: Sopa Campestre de Arroz

Campestre porque feita com verduras e legumes encontrados em qualquer hortinha, no Brasil ou no Uruguai.

Foi Jorge quem escolheu esta receita e a preparou. Nunca vi ninguém gostar tanto de arroz quanto ele. É capaz de comer pratos de arroz puro! Quando o conheci, comia arroz branquinho, bem solto. Aqui em casa, há muitos anos só consumimos arroz integral, que achamos mais saboroso e nutritivo. E assim ele foi se acostumando aos novos sabores. A ponto de ter substituído na sopa de sua memória infantil o arroz branco pelo atual, mais moreninho, integral. Deixo-lhes seu relato (e quem não entender, deixa um comentário que traduzo):

“Vea bien. Esta sopa se trata en realidad de picar bien finito, rayar, dorar y poco más. Apio, perejil, zanahoria y cebollinos en los vegetales, arroz y manteca y caldo bien caliente. Simple.
Más abajo Micheline les cuenta cómo hacer.

Ahora juntar estas 4 o 5 cosas y hacer de ellas (del camino y del resultado) un encanto para los sentidos... eso ya es otra cosa.

La conversación se fue estirando, lavamos con Micheline la vajilla del mediodía y ... allá fue la olla de barro para la mesa, invadiéndonos de sensualidad.

En nuestros platos un huevo crudo y por encima colores y sabores bien calientes.

En el aire, Astor Piazzolla y en el paladar un mundo de sensaciones.

Para terminar el día... estuvo bueno demás” (Jorge Aldrovandi).


Já viram, né, a noite foi bem romântica, ainda mais com o "golpe baixo" de Jorge de colocar uma de minhas músicas favoritas: Adiós Nonino, de Astor Piazzolla... A receita abaixo, Jorge a consultou no Crandon, a "bíblia" da Culinária Uruguaia, devidamente traduzida para vocês, por mim.


SOPA CAMPESTRE DE ARROZ

Ingredientes (para quatro pessoas):

1/2 xícara (de chá) de arroz
2 colheres de sopa de manteiga
1 xícara (de chá) de cenoura ralada
1/2 xícara (de chá) de aipo picado
1/2 xícara (de chá) de cebolinha picada (ambas as partes, a verde e a branca)
2 colheres de sopa de salsa picada
2 litros de caldo fervendo (Jorge fez com 2 tabletes de caldo de legumes knorr).

Modo de fazer:

Numa panela funda, dourar o arroz na manteiga, juntar o caldo e os legumes picados, inclusive salsa e cebolinha). Cozinhar em fogo brando, com a panela tampada, até que o arroz esteja bem macio. Condimentar com sal e pimenta a gosto (nós não colocamos sal, por causa do tablete de caldo knorr que já tem sal suficiente).

Servir bem quente com pão ou torradas à parte.

Opcional: na hora de ir à mesa, quebrar em cada tigela um ovo e verter a sopa bem quente por cima. Ou colocar algumas unidades de muzzarela de búfala, aquela pequena em bolinhas.

Acompanhar de vinho tinto (um Carmenère ou Tanat vão super bem: nós servimos um Tanat Don Pascual, da Casa Juanicó, uma das melhores vinícolas do Uruguai, e que já pode ser encontrado no mercado brasileiro).

-------------------------------------------------------------------------------------

2 comentários:

Bernard disse...

Se algum dia vcs quiserem me matar, é só servir esta sopa. Nao suporto arroz!

Elisa disse...

hahahaha