segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Dia 034: Sopa de Grão-de-Bico com Alho-Porró

Esta semana Jorge resolveu escolher e fazer uma sopa, e eu fiquei como coadjuvante!

Ele fica fascinado com a variedade de livros e cadernos (com receitas coladas, pré-PC) de culinária que temos em casa, devidamente protegidos da gordura da cozinha numa prateleira da despensa. Todos com cara de muito manuseados.

Acredito que o gosto pela cozinha passa pelo DNA, como outras características. Assim, à minha coleção, juntaram-se os livros de Elisa, trazidos de sua temporada inglesa (de 2000 a 2002). Pois foi num desses livros, The Naked Chef, de Jamie Oliver (um gato!), que o Daily Mail qualifica como "Britain´s most exciting chef" que Jorge encontrou o que queria provar naquela noite: uma sopa de grão-de-bico com alho-porró. Surpreendentemente pouco british e muito, muito mediterrânea ...

E lá fui eu exercitar meu lado historiadora (para fazer jus ao meu diploma amarelado, de 1977!). Registros de grãos-de-bico foram encontrados na Suméria e também nas pinturas da tumba do faraó Tutancamon (séc XIX a.C). Na Grécia antiga eram repasto dos guerreiros. E graças às guerras espalharam-se pelo continente europeu.

Acho esse grãozinho bicudo bem adequado aos acelerados tempos atuais, afinal é excelente fonte de triptofano, um aminoácido que atua na produção da serotonina. Traduzindo. Ele tem efeitos anti-depressivos, além de ser rica fonte de ferro.

Quando minha mãe cozinhava grão-de-bico (pois chiches, chick peas, garvanzo) para fazer homus com tehina, ela deixava de molho de um dia para o outro. Eu sempre achei que era para diminuir o tempo de cozimento e economizar gás. E devia ser isso mesmo, só que agora encontrei uma boa dica de uma nutricionista da Embrapa: deixar o grão de bico de molho e cozinhá-lo na própria água tem outro efeito: preservar os nutrientes, justamente por diminuir o tempo de cozimento!

Vamos à receita (devidamente adaptada è nossa experiência)! Além de tudo ela tem um aspecto ótimo! Com ela estreamos a linda sopeira da Em Uso, que nos foi presenteada por Reynaldo e Elisa Bochner.


Receita de Sopa de Grão-de-Bico com Alho-Porró

Ingredientes (para 6 pessoas):
  • 350 g de grãos-de-bico, deixados de molho na véspera (como resolvemos em cima da hora, nós os cozinhamos em panela de pressão).
  • 1 batata média, descascada
  • 2 alhos-porrós pequenos (inclusive a parte verde)
  • 1 colher (de sopa) de azeite
  • 1 colher (de sopa) de manteiga
  • 2 dentes de alho bem picados
  • sal (1 colher de chá) e pimenta moída na hora
  • 750 ml de caldo de galinha ou de vegetais
  • Queijo parmesão ralado
  • Azeite extra-virgem para coloca rum fio em cada prato.
Modo de fazer:
  • Cozinhe o grão-de-bico com a batata (caso ele tenha sido deixado de molho de váspera; se não, cozinhe-o antes, e só depois de cozido acrescente a batata);
  • Retire a pela externa dos alhos-porrós, corte ao meio no sentido do comprimento, lave bem para retirar a terra e corte em fatias finas;
  • Em uma panela de fundo grosso (nós usamos uma de barro), aqueça o azeite e a manteiga, refogue um pouco o alho, acrescente o alho-porró e o sal, e mexa levemente até o alho-porró começar a murchar. Acrescente o grão-de-bico e a batata, com o líquido do cozimento.
  • Adicione cerca de 1/2 litro do caldo (de galinha ou vegetais), deixe levantar fervura, abaixe a chama e cozinhe por cerca de 15 minutos;
  • Agora você pode decidir se quer tomar a sopa líquida, e neste caso deve bater tudo no liquidificador, ou deixar os vegetais inteiros.
  • Nos seguimos o caminho do meio, bem zen, aceitando a sugestão do chef: batemos um pouco da sopa noliquidificador, criando uma base cremosa, e juntamos novamente na panela onde estava o resto dos vegetais.
  • Utilize o caldo restante para ajustar a consistência ao seu gosto.
  • Ajuste o sal e acrescente um pouco de pimenta moída na hora.

Apresentação:
  • Leve a sopa bem quente à mesa, em uma sopeira, e rale um pouco de queijo parmesão de boa qualidade. Regue com um fio de azeite extra-virgem.
  • Cada pessoa, depois de servida, pode acrescentar mais queijo ralado e mais azeite.
  • Sopa combina com pão e vinho...assim, providencie o pão de sua preferência (no nosso caso foi um pão italiano rústico) e um bom vinho tinto.
É claro que uma mesa bem posta, uma bela música no iPod e uma boa companhia completam o encanto desta sopa, que, afinal, é só pretexto para boas experiências.

Jorge escolheu ouvirmos A Felicidade (tristeza não tem fim, felicidade sim...), de Tom Jobim, uma faixa do Jobim Sinfônico, CD que ganhei de minha amiga Maria Vilma Salles Garcia há alguns anos.
----------------------------------------------------------------

4 comentários:

E. disse...

Ok, tudo lindo, só que eu morei na Inglaterra de 2000-2002 (não de 1998-2000)

Bernard disse...

Eu também estranhei a cronologia e pensei nisto...

Micheline e Jorge disse...

Isso é problema de DNA (data de nascimento avançada), minha memória já não é mais a mesma. Pronto! Corrigi! Bom de blog é isso, dá para editar sempre.

E. disse...

eu só comentei para tentar defender a sua sanidade... Afinal, que mãe normal deixaria a filha ir morar dois anos sozinha, do outro lado do oceano, com 14 anos!? Com 16 é um pouco menos grave ;) hehe